paciente digital

Com cada vez mais usuários ativos, a Internet facilita a vida em praticamente todos os sentidos, especialmente no que se refere à saúde. O paciente está mais digital e vai para rede tirar dúvidas, buscar especialistas, marcar consultas e participar de discussões de forma muito mais ativa.

Esse foi o comportamento confirmado no novo estudo da Doctoralia sobre o Paciente Digital, feito com os usuários da plataforma em seis diferentes países: Brasil, Espanha, Itália, México, Polônia, Turquia.

Quando olhamos para o Brasil, o perfil predominante do paciente digital é formado por mulheres entre 25 e 34 anos, residentes em grandes cidades, profissionalmente ativas, que procuram economizar tempo e desfrutar de mais conforto na hora de cuidar da saúde.

Mulheres são maioria

mulheresA maior proporção de mulheres que utilizam plataformas online para agendar consultas é justamente no Brasil, onde representam 76% dos usuários.

A representatividade feminina no Brasil se deve ao fato de as mulheres, em geral, serem responsáveis pela saúde do lar. Elas agendam as consultas médicas não apenas para si mesmas, como também para outros membros da família, especialmente os filhos. Além disso, também usam serviços médicos com muito mais frequência, cita Carlos Eduardo Spezin Lopes, Country Manager da Doctoralia no Brasil.

Grandes cidades trazem o maior volume de pacientes

cidadesAinda que plataformas como a Doctoralia possam ser utilizadas em praticamente todo o Brasil, é esperado que o maior tráfego venha de grandes cidades, como São Paulo (12%), Rio de Janeiro (11%) e Belo Horizonte (6%). Essa concentração deve-se, entre outros fatores, a um ritmo de vida mais acelerado, levando a um uso maior da Internet para resolver assuntos do dia a dia, além do fato de terem mais acesso a médicos e especialistas de saúde.

acessos pelo celularO acesso pelo celular é dominante

Em quase todos os países, a web é acessada com mais frequência através de smartphones do que tablets. No Brasil, 63% dos usuários utilizam o dispositivo móvel (9% a mais que o resultado do estudo feito em 2017), enquanto pouco mais de um terço usa o computador (35%) e apenas 2% acessam por meio de tablet.

O mobile trouxe agilidade para a vida das pessoas que agora podem se organizar de onde quiserem e as necessidades não têm mais hora marcada para se manifestar, inclusive quando isso significa marcar uma consulta.

 

Quando estão mais ativos

De um modo geral, pacientes dos seis países avaliados procuram por um especialista no período da tarde (entre 13h e 19h). A exceção é o Brasil, onde o maior número de buscas (8%) é feito pela manhã, entre 7 e 8 horas.

A falta de tempo e a pressa fazem com que o usuário busque o imediatismo nos serviços que consome. Como pacientes, não estamos mais dispostos a esperar semanas por uma consulta com um profissional de saúde, daí o sucesso da Doctoralia, que oferece uma ampla variedade de especialistas e permite escolher com base na disponibilidade e localização, assegura Carlos Lopes.

Especialistas, doenças e serviços mais buscados na plataforma:

especialidadesEspecialistas

● Ginecologista

● Psicólogo

● Dermatologista

● Endocrinologista

● Psiquiatra

doençaDoenças mais buscadas

● Endometriose

● Disfunção da ATM (articulação temporomandibular)

● Lesões penianas

● Doenças espinhais TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade).

servicosServiços mais buscados

● Terapia de casal

● Tratamento de varizes

● Terapia comportamental cognitiva

● Inserção de DIU


Ofereça o melhor para o paciente digital! Acesse os cursos gratuitos do Doctoralia Academy e aprenda mais!