Healthtechs: como elas vêm ajudando a saúde do país

Helthtechs, como elas vem ajudando a saúde do país

O termo healthtech ainda é vago para muita gente, porque realmente se trata de um conceito novo, mas já está mais presente na vida de profissionais de saúde e de pacientes do que imaginamos. Inclusive, é possível que você já utilize recursos oferecidos por essas healthtechs e nem saiba.

Healthtechs nada mais são do que empresas que desenvolvem algum tipo de solução tecnológica para melhorar o ecossistema da saúde, seja em nível de prevenção, diagnóstico, procedimentos ou gestão de dados.

E o trabalho destas empresas tem se tornado tão relevante na última década que a revista Medicina S/A abriu, pelo segundo ano consecutivo, um trabalho de investigação para conhecer as healthtechs com mais potencial para transformar a saúde do país.


Cadu Lopes

Conversa com Cadu Lopes, CEO da Doctoralia Brasil, Peru e Chile

No Brasil, a Doctoralia é parte do grupo das healthtechs atuantes no país e, para ajudar você a entender como essas empresas têm ajudado a trazer melhorias ao setor de saúde, entrevistamos Cadu Lopes, o CEO da empresa no Brasil, Peru e Chile.

2020 foi atípico para saúde e para economia mas, de modo geral, favorável à tecnologia. De que forma a pandemia da Covid-19 impactou o trabalho da Doctoralia?

Por causa da pandemia, nós implementamos em poucos meses um sistema de Telemedicina que pôde contribuir para a redução de pessoas circulando em hospitais e ambulatórios. 

Além de prover este serviço sem custo adicional aos médicos que já eram clientes da plataforma, a tecnologia também foi fornecida a instituições do sistema público de saúde, de maneira totalmente gratuita.

"Até o momento temos 13 prefeituras parceiras que aderiram ao projeto, totalizando mais de 7 mil teleatendimentos pela saúde pública."

Fazendo um balanço geral, 2020 foi um ano muito próspero para as healthtechs, e com a Doctoralia não foi diferente.

Quais mudanças vocês tiveram que promover no negócio por conta da pandemia?

O ano de 2020 foi, sem dúvidas, de muito trabalho! Destaco algumas tecnologias que passamos a oferecer para facilitar a rotina de profissionais e de pacientes durante o primeiro ápice da pandemia, e que seguem sendo importantes para a segunda onda.

Como já mencionei, um dos principais avanços foi sem dúvida a Telemedicina. Nossa ferramenta foi ao ar em março de 2020, logo que seu exercício foi autorizado e regulamentado pela Organização Mundial da Saúde e pelo Ministério da Saúde como medida emergencial.

Como a medida foi aprovada às pressas, muitas pessoas ficaram receosas e estranharam o formato de consulta. Porém, oito meses depois, a aderência comprova a eficácia dessa modalidade.

Hoje o serviço já é utilizado por mais de 15 mil clientes da Doctoralia e mais de 500 mil consultas já foram agendadas através da modalidade. 

Outro ponto foi o Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP). Longe de ser novidade, essa já era uma ferramenta bem disseminada em clínicas e hospitais pelo país e nós tivemos que correr contra o tempo para que nosso software evoluísse nesse sentido durante a pandemia. 

Além da agenda médica e do histórico de consultas, incorporamos funcionalidades como a área para registro de diagnósticos, antecedentes e medicamentos; importação da base de pacientes através de diferentes formatos documento; possibilidade de anexar arquivos; e emissão de atestados e prescrições digitais.

E já que estamos falando de prescrição, este foi outro benefício que incorporamos para o paciente. Mas do que poupá-los da temida “letra de médico”, nosso objetivo foi evitar a necessidade de exposição quando há prescrição de medicamentos controlados, principalmente para os idosos.

Ainda para os pacientes, lançamos o novo aplicativo móvel, que veio para fortalecer o propósito global da Doctoralia: encurtar o tempo de dor do paciente e tê-lo no centro do cuidado. O aplicativo é uma extensão do site e ganhou uma nova versão na pandemia para facilitar os cuidados do paciente com a sua saúde.

"Inovamos também com a abertura de um marketplace para agendamento online de exames, o Doctoralia Lab."

Agora, além do agendamento de consultas, oferecemos continuidade ao atendimento médico e uma assistência de saúde completa aos paciente. Ele pode agendar online os exames que necessita, diretamente pelo site ou pelo link encaminhado pelo médico.

E por fim, passamos a oferecer aos nossos clientes a Central de Agendamentos, um serviço personalizado para consultórios não perderem ligações, e o Doctoralia Phone, em que oferecemos o mapeamento de chamadas para clínicas e hospitais.

E olhando para o mercado global de saúde digital, o que você acha que podemos esperar para 2021? 

Cadu Lopes - Healthtechs

O mundo se tornou digital. Hoje, a maioria dos serviços, como de bancos, mercados e restaurantes, já está na palma da mão. Mas uma coisa não mudou. Quando alguém está pesquisando sobre um produto ou um negócio local, as opiniões dos clientes ainda são fundamentais. 

E isso vale também para a busca por médicos. Se antes as indicações vinham de amigos e familiares, agora elas já podem ser obtidas por avaliações publicadas na internet, por exemplo. 

No setor de saúde, a verdadeira evolução será na atenção dada  para a jornada do paciente. Colocando ele, de fato, no centro de tudo e reescrevendo todos os modelos de negócios a partir deste ponto, com o auxílio da tecnologia. 

Nosso papel agora é integrar dados, inovação, regulação e tecnologia em prol de uma saúde mais inclusiva.

Em relação ao mercado, você vê uma tendência em fusões e aquisições de empresas ou parcerias entre healthtechs? 

Acredito que essa é uma forte tendência, assim como fizemos na Europa, em que tivemos duas novas aquisições feitas pelo DocPlanner, grupo do qual fazemos parte. Muitas transações e parcerias tendem a acontecer no setor de healthtechs aqui no Brasil também.

Pensando em transformação digital, o que você acredita que gestores de saúde devem ter em mente para o próximo ano? 

Profissionais, hospitais e clínicas estão tendo que adaptar suas operações para atender às expectativas de um paciente mais exigente, bem informado e, portanto, empoderado. 

Esse novo perfil do paciente leva a um modelo de tomada de decisão compartilhada, no qual o paciente é mais ativo e consciente sobre os cuidados com sua saúde. 

Nesse sentido, a tecnologia é uma excelente ferramenta para aperfeiçoar a experiência do paciente e agilizar o contato, oferecendo autonomia e aproximando as pessoas do profissional ou instituição de saúde. Por mais que possa parecer contraditório, a tecnologia é uma grande aliada na humanização de processos.

Conte com a Doctoralia na sua rotina de trabalho!

Visite o nosso Academy e conheça nossos recursos para profissionais de saúde.

Visitar