Finanças para médicos: 5 dicas para organizar as contas do consultório

Finanças para medicos 5 dicas

Ter que administrar as próprias finanças, seja operando o próprio consultório ou trabalhando para um, é uma necessidade constante no dia a dia dos médicos. Mas, apesar de ser uma atividade básica, a gestão financeira é um desafio para muitos profissionais de saúde. Afinal, cursos de medicina e de outras práticas de saúde raramente dão conta desse tema.

É preciso lembrar, no entanto, que consultórios também são empresas. Por isso, além de dominar os conhecimentos técnicos da área e oferecer atendimento de qualidade, o estabelecimento de saúde que espera se manter competitivo no mercado e sobreviver às crises precisa cuidar das suas finanças.

Se você está tendo dificuldades nesse assunto, continue a leitura e veja as dicas que separamos de finanças para médicos. Boa leitura!

Qual a importância das finanças para médicos?

Em grandes instituições de saúde, como os hospitais, é comum que haja uma equipe dedicada à parte financeira. Em consultórios, por outro lado, são os próprios médicos que muitas vezes acumulam funções e passam a cuidar das contas. Mas nem sempre sabem como fazer isso da melhor maneira.

Pela sobrecarga de atendimentos e atividades de gestão, médicos podem deixar essa tarefa essencial de lado, sem saber quanto gastam ou se estão lucrando ou tendo prejuízo. O problema é que essas informações são essenciais para o sucesso de qualquer negócio, e com o consultório não é diferente.

Um negócio que não olha para as finanças pode deixar de lado o pagamento de impostos, o fluxo de caixa e a projeção de gastos e lucros, acarretando em falta de previsibilidade, além de possíveis juros e multas.

Como organizar as contas? 5 dicas de finanças para médicos

Agora que você tem consciência da importância das finanças para médicos, separamos algumas dicas de como preservar o equilíbrio financeiro no consultório.

1. Mantenha despesas pessoais e profissionais separadas

Misturar as contas de pessoa física e pessoa jurídica é um erro muito comum, principalmente entre quem está abrindo um consultório e dando os primeiros passos no empreendedorismo. 

Ao olhar para suas contas, você consegue dizer quais despesas são suas e quais são as do consultório?

Para ter mais previsibilidade, é essencial separar essas despesas. Isso é benéfico tanto para as contas da empresa quanto para as contas pessoais, já que o médico sabe quanto irá receber e a empresa não fica com as contas comprometidas.

O primeiro passo é criar uma conta bancária com o CNPJ do consultório. Depois, você  pode estabelecer um pró-labore, ou seja, um valor mensal, como se fosse um salário, que poderá ser retirado mensalmente.

2. Registre o fluxo de caixa

Registrar as quantias que entram e saem do caixa é essencial para qualquer empresa. É para isso que serve o fluxo de caixa, que consiste na quantia recolhida e gasta por um negócio em períodos determinados de tempo.

Por meio desse registro de todas as movimentações financeiras, você consegue projetar e apurar o saldo do consultório, além de manter um capital de giro — ou seja, a diferença entre os recursos disponíveis em caixa e a soma das despesas que devem ser pagas. 

No seu fluxo de caixa, inclua tudo o que foi recebido e também pago, mesmo que a quantia pareça pequena. 

Essa é uma boa maneira de saber, também, quais são as suas fontes de receita. 

Você conhece de onde vem o dinheiro que entra no caixa do consultório? Entender as principais fontes da sua renda, os serviços que geram mais receita, assim como os perfis de paciente,  te permite se planejar melhor e investir nas atividades que geram mais retorno.

custos fixos e variaveis

3. Conheça seus custos fixos e variáveis

Para ter mais controle das finanças do consultório, o médico também precisa entender a diferença entre custos fixos e variáveis. Ao conhecer estas variantes, o consultório ganha mais uma vez previsibilidade e você consegue se programar para os próximos meses.

Os custos fixos são aqueles não diretamente ligados ao número de pacientes atendidos, mas que estão presentes todos os meses, como aluguel do consultório e salário da equipe. Os variáveis, por sua vez, mudam conforme o número de pacientes e de procedimentos realizados, incluindo, por exemplo, materiais descartáveis e medicamentos.

Se você observar que comprou determinada quantia de materiais nos últimos meses, por exemplo, pode supor que uma quantidade parecida será necessária nos meses seguintes. Dessa forma, pode se programar para fazer uma compra maior, trimestral ou semestral, e obter descontos com fornecedores.

4. Previna-se contra imprevistos

Imprevistos acontecem. E, quando o assunto é finanças para médicos, a melhor maneira de se prevenir é tendo uma reserva financeira. Essa é uma regra de ouro, que vale tanto para a pessoa física quanto para a jurídica, sendo igualmente importante em ambos os casos.

Sua reserva pode ser feita em uma conta poupança da empresa, mas existem também investimentos simples que rendem um pouco mais. 

eBook - Como gerir um consultório de sucessoGerindo um consultório de sucesso

Além das finanças, existem outras chaves para determinar o sucesso de um consultório médico. Aprenda mais sobre gestão financeira, controle de operações, conheça aplicativos que te ajudarão a organizar o dia a dia e mais!

Acessar eBook

Isso vai permitir que a empresa se mantenha mesmo em caso de imprevistos, como a redução do número de pacientes ocasionada pela pandemia ou uma reforma inesperada, por exemplo. 

E se tudo estiver correndo bem, parte desse dinheiro também pode ser investido em melhorias, como marketing e ações de relacionamento para atrair ainda mais pacientes para o consultório.

5. Tenha dados em mãos

Ter um banco de dados com seus registros financeiros é a melhor maneira de acompanhar os resultados do consultório. 

Faturamento, número de consultas marcadas, porcentagem de pacientes novos e recorrentes em determinado período, pagamentos realizados. Tudo isso impacta nas finanças dos médicos, e ter essas informações em mãos permite tomar as melhores decisões.

Mas como obter esses dados? Fazer tudo isso manualmente leva tempo e ainda está sujeito a erros humanos. Por isso, o melhor é contar com uma ferramenta feita especialmente para clínicas.

Por meio da seção Relatórios do software médico da Doctoralia , você consegue acompanhar todos esses dados e muitos outros. Acesse as informações organizadas pela ferramenta e consiga uma visão geral do desempenho do consultório. Dá para selecionar e personalizar os dados como desejar e, em seguida, fazer download do relatório completo. 

ralatorios br

Solicite uma demonstração da ferramenta. Você vai ver que nunca foi tão fácil ter controle total do seu consultório e das finanças profissionais.