linguagem da mudanca medico paciente

O sucesso de um tratamento de saúde não é determinado apenas pela escolha do profissional certo, mas leva em conta também a motivação do paciente para seguir suas orientações. Uma ferramenta bastante útil para apoiar a aliança entre médico-paciente e fortalecer o engajamento no tratamento é aplicar a linguagem da mudança na comunicação médica.

Um diálogo motivacional na comunicação com o paciente

Tenho dedicado muitos anos ao trabalho de coaching e muitas vezes tive que lidar com pacientes que dizem: "eu quero começar, mas eu não consigo" ou então, "por que eu não tenho força de vontade?"...

Muitas pessoas sofrem com a procrastinação (ou seja, a o adiamento patológico de tarefas importantes) e têm dificuldades para manter a (auto) motivação. Existem também as que têm dificuldades de ver os benefícios a longo prazo, ou seja, quando tem que colocar esforço em algo que não traga benefícios tangíveis imediatos, seguir em frente é muito penoso.

Os problemas acima também acontecem para algumas pessoas quando estão no papel de paciente e se refletem diretamente no êxito do tratamento. Mesmo o diagnóstico correto e o melhor tratamento não serão eficazes se o paciente não seguir as recomendações do especialista. Além disso, como já se sabe, muitos problemas de saúde demandam mudanças de hábitos e de estilo de vida para que a melhoria seja permanente - como alimentação saudável, atividade física, abandonando estimulantes... Por isso, um grande desafio para médicos e especialistas da saúde é ajudar seus pacientes a permanecerem motivados e verem os benefícios de colocar o esforço para mudarem.

Por isso, vou falar sobre como os especialistas da saúde podem usar a linguagem da mudança para motivar seus pacientes a aderirem às recomendações médicas e se envolverem no processo do tratamento:

Resumidamente, gostaria de lembrar que William R. Miller (psicólogo clínico norte americano e professor de psiquiatria e psicologia na Universidade do Novo México), junto a Stephen Rollnick (professor de psicologia clínica na Universidade Cardiff) definiram brevemente o conceito de entrevista motivacional ( motivational interviewing ) como:

 quotes Uma linha de conversa colaborativa, usada para fortalecer a automotivação do indivíduo e seu compromisso em mudar.

quotes Um meio de comunicação colaborativo, orientado aos resultados, com especial atenção à linguagem da mudança. Destina-se a reforçar a automotivação e o compromisso do indivíduo para alcançar um propósito específico, investigando-se seus estímulos pessoais de mudança, em um ambiente de aceitação e compaixão. " (Entrevista Motivacional: conversas sobre mudança - PePSIC , p. 55 - titulo traduzido par ao português)

É extremamente importante que o profissional da saúde fortaleça no paciente a crença de que ele é capaz de mudar seus hábitos. Seja para passar por um exame desagradável ou para incorporar mudanças permanentes... Em todas essas ocasiões, vale à pena investigar as motivações do paciente e buscar captar quando ele próprio começa a introduzir a linguagem da mudança em sua fala e, positivamente, acaba incorporando-a.

Por que dar suporte ao paciente usando a linguagem da mudança?

Os propósito principais de desenvolver a linguagem da mudança com os pacientes:

bullet pointFortalecer a motivação e o comprometimento do paciente. Como já escrevi em alguns artigos, o fato do paciente aderir, ou não, às recomendações médicas em sua vida cotidiana terá um impacto enorme em seu tratamento. Especialmente em casos de doenças crônicas ou que exigem mudanças permanentes no estilo de vida. 

bullet pointEnxergar os efeitos positivos da mudança. O paciente nem sempre é capaz de enxergar como a incorporação de uma mudança (ou tratamento) será traduzido em seu futuro.É o caso de procedimentos que reduzem os riscos de cirurgias futuras com tratamentos preventivos, por exemplo.

bullet pointTer consciência sobre os efeitos de não mudar. Muitas vezes temos a sensação de que, quando não tomamos uma atitude, apenas ficaremos inertes na mesma posição que nos encontramos hoje. No caso de tratamentos de saúde, no entanto, se o paciente decide não mudar ou avançar, ele pode realmente começar a regredir... Por exemplo, quando a timidez ou a falta de skills sociais levam à fobia social, ou quando a falta de atividade física ultrapassa a "dor nas costas" e resulta na necessidade de cirurgia. Vale à pena o especialista orientar seus pacientes nesse sentido, mostrando o quanto a omissão ou a inércia podem resultar no agravamento do seu estado. Sem mudanças o paciente dificilmente conseguirá manter a condição atual e, pelo contrário, tende a encontrar-se pior com o passar do tempo. Isso é muito comum com pacientes que costumam pensar da seguinte maneira: "Eu sou capaz de aguentar uma dor nas costas de vez em quando. Tomo remédio e pronto. Não preciso fazer exercício físico todos os dias para melhorar um desconforto que não é diário".

bullet pointTer argumentos para mudança. Entre outras coisas, é possível conseguir que o paciente esteja aberto às mudanças pela maneira como direcionamos nossas perguntas. Perguntar da maneira certa favorece para que o próprio paciente comece a se dar conta dos benefícios do tratamento. Por exemplo: "Como sua vida seria se você aceitasse fazer cirurgia para controlar incontinência a urinária?". Fazer a pergunta da forma oposta também pode ajudar, como mostrar os inconvenientes de não seguir o tratamento. Por exemplo. "Como você imagina seus próximos anos tendo hemorragias frequentes?". Faça a pergunta aberta e deixe que o próprio paciente chegue à conclusão.


Quais os sinais de que o paciente começou a aderir a linguagem da mudança?linguagem da mudanca medico paciente -

Para motivar o paciente a aderir ao tratamento, é importante capturar os momentos em que ele começa a aderir a linguagem da mudança, ou seja, sinais em sua fala:

icons8-checked-checkbox-30-1Se mostra aberto para escutar suas recomendações. Exemplo: o momento em que o paciente começa a fazer perguntas buscando informações adicionais.

icons8-checked-checkbox-30-1Começa a considerar prós e contras. Exemplo: Por um lado, seria muito bom respirar melhor e minha esposa ficaria feliz por eu não roncar mais. Por outro, a cirurgia do septo nasal é provavelmente muito dolorosa e pode ter complicações, certo?"

icons8-checked-checkbox-30-1 Imagina os ganhos permanentes do tratamento. Exemplo: Seria fantástico acordar de manhã sem dores no pescoço.

icons8-checked-checkbox-30-1Hesita se irá conseguir. Isso mostra que o paciente já começou a considerar o que deve fazer para alcançar o objetivo e quais serão seus obstáculos. Exemplo: "Eu não sei se posso parar de fumar. Já tentei várias vezes".

icons8-checked-checkbox-30-1Compartilha preocupações ou apresenta empecilhos. Isso dá ao profissional abertura para orientar o paciente e prover informações importantes a ponto de quebrar pré conceitos e apresentar de forma real os riscos ou efeitos colaterais possíveis. Tal abertura do paciente também é um sinal para o médico de que o paciente confia nele e está aberto a conversas honestas sobre suas emoções, medos e convicções. (Por exemplo: "Minha amiga fez uma operação dessas e não deu nada a ele, por que ela me ajudaria?" Ou "Li no jornal que essas drogas estão no gancho".

Usando a linguagem da mudança

Abaixo cito alguns exemplos práticos de como um profissional da saúde pode motivar o paciente a seguir o tratamento ou adotar mudanças em seu estilo de vida com determinação.

bullet pointFaça perguntas : perguntas ajudam o paciente pensar a respeito dos benefícios que podem vir junto às mudanças. Ex.: "O que a redução de peso vai mudar em sua vida"?

bullet pointBusque saber mais : como o paciente se sente, de quê tem medo, quais são seus conhecimentos ou crenças sobre determinada enfermidade ou tratamento. Ex.: "Como você se sente agora estando acima do peso?", "Você poderia me contar sobre seus medos nesta operação? "Existe alguma coisa que te deixe particularmente receoso com este tratamento proposto?"

bullet pointExplore os extremos: Faça perguntas para descobrir o que mais motiva e o que mais desencoraja o paciente. Ex.: "O que mais te incomoda no fato de estar acima do peso?" "E qual será o maior benefício para você após emagrecer?"

bullet pointMire sempre para frente: Em outras palavras, motive o paciente a pensar sempre em como sua vida poderá seguir com mais qualidade após o tratamento ou a mudança no estilo de vida. Ex.: " Você desistiu de algo por estar acima do peso e poderá retomar esse sonho após perder peso?

O diálogo do profissional da saúde deve sempre prever a motivação, fortalecendo a crença dos pacientes de que eles são capazes de lidar com dificuldades no tratamento e avançar um passo de cada vez. A técnica de valorização, que visa levar ao paciente mensagens de apoio ou motivação é muito útil nesses momentos.

Aqui estão alguns exemplos para o paciente se sentir valorizado:

"Que bom saber que você comprou um livro sobre nutrição saudável"

"O que mais você poderia fazer para introduzir uma dieta mais variada no dia a dia?"

"É muito importante você ter tomado consciência que as suas articulações estão doendo por conta da obesidade."


Acerte na comunicação com os pacientes com a ajuda da Agenda Doctoralia.


Em resumo:

O especialista deve sempre começar por uma investigação para entender se o paciente tem conhecimento suficiente sobre sua doença.

Quando a resposta é não, então é seu papel educar e dar mais informações para que o paciente possa tomar consciência de problema e de como ele está relacionado a outros aspectos da sua vida.

Se o paciente já souber o suficiente sobre a sua enfermidade - e ainda assim não seguir as recomendações do especialista -, somente repetir as mesmas informação não produzirá um efeito repentino para convencer o paciente a mudar de atitude.

Lembre-se que o paciente pode não estar totalmente ciente dos vínculos entre um sintoma e outro, ou entre um sintoma e uma condição de vida (como a dor na perna que pode ser reflexo de uma dor coluna, por exemplo).

Por isso, vale à pena que o especialista dedique tempo e energia - apesar da quantidade de trabalho - para ajudar seus pacientes manterem a motivação e esforçarem-se por si mesmos. Este investimento será compensado em forma de melhores resultados no tratamento.

O diálogo que motiva a comunicação entre médico-paciente e mantém a linguagem de mudança presente ajuda a construir um pacto terapêutico e aumentam a eficácia do tratamento.

 Este artigo é baseado em minha palestra "Como aplicar a linguagem da mudança na comunicação com o paciente?", apresentada durante a conferência "Discursos modernos na saúde. Aspectos humanísticos da comunicação na assistência médica. "

Anna Daria Nowicka é socióloga, treinadora e coach.